Mantenha os seus olhos em Jesus

A maneira como somos transformados é simplesmente olhando, contemplando o Senhor

No fim de sua vida, Jacó chamou os seus filhos e lhes disse: “Ajuntai-vos, e eu vos farei saber o que vos há de acontecer nos dias vindouros” (Gn 49.1). Parece que a bênção de Jacó sobre os seus filhos tem um elemento de profecia. E essa profecia está relacionada com o Senhor Jesus. Tudo na Palavra de Deus diz respeito ao Senhor Jesus. A Bíblia é como um álbum de família de Deus. Esse álbum é completamente a respeito do seu Filho. Ele mostra imagens do Filho em diferentes funções, ofícios e ministérios, e, quanto mais você se deleita em olhar para o Filho, mais é abençoado.

Pessoas frequentemente me escrevem dizendo que precisamos nos esforçar para sermos transformados; afirmam que, se não nos esforçarmos, jamais seremos santos e semelhantes a Jesus. A verdade, porém, é que a única maneira de avançarmos é pela graça. A graça não é sobre as suas obras, mas é tudo sobre o suprimento d’Ele, o trabalho d’Ele dentro e através de você. E a maneira como somos transformados é simplesmente olhando, contemplando o Senhor.

Jacó, então, manda que os seus filhos se reúnam para que ele possa dizer o que acontecerá nos últimos dias. De uma forma geral, ele abençoa os seus filhos. Porém, para alguns, as suas palavras não foram de bênção, mas de disciplina.

Jacó e Israel são a mesma pessoa. Mas o nome Israel lhe foi dado pelo Senhor quando lutou com ele no vau de Jaboque. O Senhor poderia facilmente vencer Jacó, mas Ele se deixou prender porque tem prazer quando o buscamos com intensidade. Jacó se agarrou a Ele e disse: “Não te deixarei ir enquanto não me abençoares”. O Senhor, então, lhe pergunta: “Como te chamas?” Ele respondeu: “Jacó”. O nome Jacó significa “suplantador”, com uma implicação de trapaça. Então, disse: “Já não te chamarás Jacó, e sim Israel, pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste” (Gn 32.24-28).

A primeira bênção de Jacó é sobre o seu filho primogênito chamado Rúben. Este deveria ser um momento de bênção, mas, para Rúben, foi um triste lembrete do que ele havia feito. Como primogênito, Rúben tinha direito a uma porção dobrada, mas ele não recebeu essa bênção.

Rúben, tu és meu primogênito, minha força e as primícias do meu vigor, o mais excelente em altivez e o mais excelente em poder. Impetuoso como a água, não serás o mais excelente, porque subiste ao leito de teu pai e o profanaste; subiste à minha cama. (Gn 49.3-4)

O nome Rúben significa “Eis o filho” ou “Olhe para o filho”. Quando as mulheres e concubinas de Jacó deram nomes aos seus filhos, elas não imaginavam que estavam fazendo algo profético. Elas simplesmente deram nomes de acordo com as suas experiências. Naquele tempo, as duas irmãs, esposas de Jacó, estavam competindo pela atenção do marido e, quando Lia dá à luz um filho, ela apenas queria que todos vissem a criança. Ela o chama de Rúben, “Olha para o filho”.

Deus, porém, usa tudo isso para que o seu Filho apareça. Então, Rúben se torna um sinal espiritual, por meio do qual Deus diz: “Olhe para o Filho”. E quem é o filho? O Senhor Jesus. Toda bênção vem quando olhamos para o Senhor Jesus.

Mas o que temos aqui é uma imagem do primogênito sendo rejeitado. Por quê? A razão é colocada: instável como a água, não deve se destacar, porque subiu à cama de seu pai e a contaminou. Rúben cometeu adultério com uma das concubinas de seu pai, chamada Bila.

Quando Raquel morreu, ele cometeu adultério com Bila. Isso foi algo terrível e seu pai ficou sabendo. Deixe-me lhe dizer algo sobre o pecado sexual. Algumas pessoas dizem que todo pecado é igual, mas a Bíblia diz que há um pecado que afeta você mais do que todos os outros. Todo pecado que um homem comete é fora do seu corpo, mas aquele que comete imoralidade sexual peca contra o próprio corpo (1 Co 6.18). Portanto, o pecado sexual é único na sua categoria.

Deus mesmo projetou o sexo. O sexo é uma ideia divina e, em seu plano, Deus quer que o sexo aconteça num ambiente de aliança. Deus quer que o casal se sinta seguro. Quando isso acontece, o sexo é maximizado e abençoado.

Deus sabe que esse pecado tem uma consequência que nenhum outro pecado tem. Se, por exemplo, eu colar duas folhas de papel uma na outra e depois tentar separá-las, elas se rasgarão e pedaços de papel de uma vão ficar colados na outra. Quando você comete imoralidade sexual com uma pessoa, você carrega algo da outra pessoa consigo. Este é o único pecado do qual a Bíblia nos manda fugir.

Foi exatamente isso o que fez José. A esposa de Potifar provavelmente era muito bonita. Potifar era um homem muito rico, então ele certamente tinha uma mulher muito bonita. Ela era uma tentação, senão José não teria fugido. Ele fugiu exatamente porque era a única coisa sensata a se fazer (Gn 39.7-12).

Nunca pense que você pode lidar com a tentação sexual. Fuja desse pecado. Não confie em sua própria carne. Muitos dizem: “Eu sei que esse site tem alguns elementos sensuais, mas eu posso lidar com isso”. A verdade, porém, é que a tentação o levará a gastar mais tempo ali do que precisa e no fim você pagará um preço por isso. Não existe prazer sem um preço, e o preço é sempre alto demais.

Não confie em sua carne. A atitude mais espiritual que alguém pode ter é não confiar em si mesmo. Quando fugimos daquilo que dá ocasião ao pecado, nós estamos seguros. Muitos homens perderam a sua posição, excelência e dignidade por causa de um momento fugaz de prazer da carne.

Valorize a sua posição

Você sabia que Rúben poderia ter sido o progenitor, o pai de todos os reis de Israel? Em vez de rei de Judá, o Senhor seria rei de Rúben, porque ele era o primogênito. Mas a sua realeza foi dada a Judá.

O primogênito tinha direito a essas três coisas: reino, sacerdócio e uma porção dobrada da herança. A realeza foi dada a Judá, e o sacerdócio, à tribo de Levi. De Levi, vieram os filhos de Arão e os sacerdotes de Israel. O sumo sacerdote era da tribo de Levi.

A terceira coisa era a porção dupla da herança. A porção dobrada da primogenitura foi para José. É por isso que os dois filhos de José, chamados Efraim e Manassés, são mencionados entre as doze tribos.

Essa porção dobrada teria sido de Rúben, em vez disso, a porção dobrada foi dada a José. O sumo sacerdote de Israel era para ser o sumo sacerdote de Rúben, mas tornou-se o sumo sacerdote da tribo de Levi. Que grande perda. Eu acho que Rúben nunca percebeu realmente a gravidade daquele momento. Tudo o que ele pensou foi que ninguém saberia do seu ato. Mas o seu pai ficou sabendo. Quando chegou a hora da bênção, o pai lhe diz: “Todas essas três coisas são tiradas de você e dadas a outras pessoas”.

Acho que uma das coisas mais tristes da vida é quando você vê alguém ocupando o lugar que deveria ser seu. Não pense nem por um momento que, se você desprezar a sua posição, o seu papel na igreja ou na liderança, Deus dirá: “Oh, eu não tenho mais ninguém para essa posição”. Você pode ter certeza que Deus levantará alguém para tomar o seu lugar. Quando Saul, o primeiro rei de Israel, pecou contra Deus, o trono não ficou vazio. Deus levantou um menino pastor segundo o seu coração, que tomou o lugar do rei Saul. Acredite em mim, Deus não tem falta de pessoas. Sempre haverá alguém para ser levantado. Não há ninguém insubstituível.

Se você não acredita que a sua posição possa ser assumida por outro, deixe-me mostrar o que aconteceu com Judas Iscariotes quando ele traiu Jesus. Veja o que Pedro diz sobre ele em Atos.

Porque ele era contado entre nós e teve parte neste ministério. (Ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniqüidade; e, precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram; e isto chegou ao conhecimento de todos os habitantes de Jerusalém, de maneira que em sua própria língua esse campo era chamado Aceldama, isto é, Campo de Sangue.) Porque está escrito no Livro dos Salmos: Fique deserta a sua morada; e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu encargo. (At 1.17-20)

Judas pegou o dinheiro e comprou um campo, chamado Aceldama, e nesse campo se enforcou. O galho, porém, se quebrou e ele caiu sobre pedras afiadas e então suas entranhas se rasgaram. Esse lugar é chamado Campo de Sangue.

Então, Pedro diz que está escrito no livro de Salmos a respeito de Judas: “Que a sua morada seja desolada, e ninguém viva nela, e que outro assuma o seu cargo” (Sl 109.8).

Então, só porque hoje temos um cargo na igreja ou um título eclesiástico, não significa que é nosso para sempre. Algumas pessoas presunçosamente pensam: “Ninguém pode tomar minha posição, porque me foi dado pela graça”. É verdade, mas se você não quer essa posição, se você não a valoriza, ela será dada a outro, como Esaú, que era o primogênito, mas não valorizou a sua primogenitura, a qual depois foi dada a Jacó.

Foi o que aconteceu com Rúben, ele não valorizou a sua posição. Se não valorizamos o que temos, Deus pode fazer com que outra pessoa tome o nosso lugar. Deus é bom! Ele nos dá o privilégio de cumprir essa missão, mas se com nossas atitudes demonstramos que não queremos essa posição, Ele certamente a dará a outro.

Quanto a mim e minha casa, eu quero cumprir tudo o que Deus tem para nós. E quanto a você? Valorize a posição que Deus tem lhe dado.

Não durma com o medo

Eu gostaria de olhar mais profundamente essa relação de Rúben com Bila. Eu creio que há aqui algo mais significante que o pecado sexual.

Na Palavra de Deus, existe um ensinamento mais superficial e literal, que os judeus chamam de Parashá. Nesse caso, a Parashá é o ensinamento literal que mostra o adultério de Rúben e Bila. Mas eu creio que há um significado espiritual por baixo do sentido literal. O povo judeu chama isso de Sod. Se meditarmos na Escritura, o Espírito vai quebrar a casca da semente e nos dará a vida que está dentro.

Deixe-me compartilhar com você o significado de Rúben novamente. O que significa a palavra Rúben? Significa “Veja o Filho”.

Agora, vamos voltar a Gênesis 35.

E aconteceu que, habitando Israel naquela terra, foi Rúben e se deitou com Bila, concubina de seu pai; e Israel o soube. Eram doze os filhos de Israel. (Gn 35.22)

O nome Bila em hebraico significa “temer, perturbar-se, aterrorizar-se”. Diante disso, você pode dizer que, em vez de olhar para Jesus, o Filho, que é uma posição alta, Rúben escolheu ir dormir com o medo. Nós cristãos, não podemos abdicar de nossa alta posição contemplando o Filho para ir dormir com o medo. Quando dormimos com o medo, perdemos todas as bênçãos da primogenitura. Quando dormimos com o medo, somos desqualificados para a herança.

 Enquanto você olha para Jesus, você está em uma posição alta, acima do medo. Não vá para a cama com o medo. O medo traz consigo uma série de coisas, como terror, pânico, angústia e estresse. Ele abdicou de sua posição de ver o filho e foi para a cama com o medo.

Olhe para o Filho

No Novo Testamento, temos uma história que ilustra isso. Está em Mateus 14. Os discípulos estavam no barco sendo sacudido pelas ondas porque o vento era contrário. Talvez você esteja lendo isso agora e sua vida esteja sendo sacudida por ventos contrários. Talvez sejam ventos de turbulência financeira, ou uma tempestade de doenças que entrou na sua casa. Quaisquer que sejam os ventos e seja qual for a tempestade, estou aqui para lhe dizer, no meio da tempestade, olhe para Jesus. A Bíblia diz que, na quarta vigília da noite, Jesus foi até eles caminhando sobre o mar.

Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões. E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só. Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário. Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento. E os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus! (Mt 14.22-33)

Naqueles dias, eles dividiam a noite em quatro vigílias. A partir das 18 até as 21 horas, era a primeira vigília. De 21 horas até a meia-noite, era a segunda vigília. Da meia-noite às 3 da manhã, era a terceira vigília, e das 3 às 6 da manhã, era a quarta vigília. A quarta vigília era o horário mais escuro. Na hora mais sombria da vida dos discípulos, Jesus não os deixou sozinhos, mas veio até eles andando sobre o mar.

Ele vem caminhando sobre o mesmo problema que ameaçava dominá-los. O mar estava ameaçando afogá-los, e Ele vem acima do mar caminhando na direção deles. É como andar sobre a cabeça de Satanás em sua direção, caminhar em cima do seu problema financeiro em sua direção, caminhar sobre sua doença em sua direção. O Senhor do alto está acima das águas. Ele não o abandona na sua hora mais sombria.

Na quarta vigília, Ele vai aos discípulos e, quando eles o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e gritaram: “É um fantasma!” Imediatamente, Jesus falou com eles, dizendo: “Tenham bom ânimo! Sou eu; não tenham medo”. No grego, o Senhor disse: “Eu Sou!” E este, na verdade, é o nome de Deus na sarça ardente. Quando Ele diz: “Eu Sou”, Ele está lhe dando um cheque em branco, significa que ele será qualquer coisa que você necessite.

Pedro, então, lhe respondeu: “Senhor, se és tu, ordena-me que vá ter contigo sobre as águas”. O Senhor lhe diz: “Vem!” O bom a respeito de Pedro é que ele deixou a sua razão e lógica completamente de lado. Ele simplesmente saiu do barco e andou sobre as águas.

Pedro está com os seus olhos fitos em Jesus, é Rúben, está olhando o Filho. Enquanto ele está com os olhos em Cristo, tudo vai bem. Ao olhar para Jesus, ele se tornou como Jesus. O Senhor estava acima da tempestade, agora ele também está acima da tempestade. Ele está desfrutando da bênção do primogênito olhando para o primogênito.

Tudo parecia ir bem até que Pedro tirou os olhos do Senhor e passou a reparar na força do vento. Nesse momento, ele teve medo. Rúben parou de olhar para Jesus e foi para a cama com o medo. Ele começou a olhar para os sintomas da doença, para a crise financeira, para o desemprego, para os problemas ao redor do mundo em vez de olhar para o Senhor Jesus.

Pedro abdicou de sua alta posição. Ele voltou a confiar em seu próprio raciocínio, e isso sempre traz de volta o medo. Ele ficou com medo de afundar por causa do vento. Mas o que isso tem a ver com caminhar sobre as águas? Se o vento não estivesse agitado e o mar estivesse perfeitamente calmo, sem nem uma onda, ainda assim ele não poderia andar sobre as águas. O vento não tem nada a ver com isso. Então, o seu raciocínio também havia sido corrompido pelo medo.

Enquanto Pedro está olhando para o Senhor, ele é capacitado para agir no sobrenatural. Ele está habilitado a viver a vida elevada de Jesus, a vida acima das tempestades. Mas, quando ele tirou os olhos do Senhor e passou a reparar na força do vento, então começou a afundar. Ele estava com medo, e o medo o leva a naufragar. Por um instante, Pedro pensou que o vento era maior do que Jesus.

Quando Pedro começou a afundar, ele gritou: “Senhor, salve-me!” E o Senhor estendeu a mão, segurou-o e disse-lhe: “Por que você duvidou, homem de pequena fé?” E, quando eles entraram no barco, o vento cessou. O teste havia terminado. Parece que Pedro foi reprovado, mas lembre-se de que ele andou sobre as águas mais do que qualquer outro homem sobre a terra.

Ignore os ventos. O Senhor pode pará-los quando quiser. Portanto, não vá para a cama com o medo. Continue olhando para Jesus. Enquanto continuar olhando para Jesus, você será transformado para ser como Ele. Ao olhar para o Senhor, Ele nos transforma de glória em glória.

Perguntas para compartilhar:

1-  Por que devemos fixar os nossos olhos em Cristo?

2- Por que o Senhor mudou o nome de Jacó?

3- Por que devemos ter plena confiança no Senhor?

Tags