O Cristão e o Dinheiro

O Cristão e o Dinheiro

Problemas financeiros, aperto, preocupação em quitar dívidas. São algumas das frases mais utilizadas em tempo de crise. Há muito tempo, a área financeira tem provocado inúmeros problemas. É isso tem se agravado ainda mais nos dias de hoje. Marcados pelo consumismo, pelo materialismo, pelo viver na moda, pela procura de status, ou seja, uma vida apoiada sobre preceitos errados. Esses são problemas antigos, pois o ser humano insiste muitas vezes em dirigir a sua vida baseando-se em falsos valores, e não nos valores de Deus. É comum pensar que o dinheiro não é algo muito espiritual, mas a maneira como lida com ele influencia diretamente sua vida com Deus.

Em Marcos 12.17, diz: “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. E maravilharam-se dele. Essa palavra mostra que a estabilidade e a bênção na vida financeira começam pelo reconhecimento de quem é Deus. Você honra alguém quando a trata conforme as expectativas dela, fazendo o que ela deseja, como ela quer. A forma como emprega seu dinheiro também demonstra a realidade de seu amor por Deus. É preciso honrar a Deus com aquilo que produz, com integridade e gratidão.

Na Bíblia, Deus diz que o dinheiro pode ser uma bênção, mas não deve dominar a vida do homem. O dinheiro serve para facilitar a vida, mas quando é usado de forma errada, pode trazer muitos problemas. A riqueza ou falta dela não serve para medir a espiritualidade das pessoas. Deus aceita e ama tanto o rico como o pobre. Quando gerido bem, o dinheiro serve para:

Suprir necessidades – Com dinheiro, você pode comprar as coisas de que necessitam para sobreviver, manter sua casa e se preparar para o futuro.

Ajudar outros – Dinheiro dado com sabedoria pode ajudar outras pessoas que estão passando dificuldade. 

Realizar a obra de Deus – Você também pode utilizar seu dinheiro para auxiliar na manutenção da igreja, ajudar instituições de caridade ou até para realizar sonhos ou projetos dados por Deus.

Adquirir comodidades – Dinheiro também pode servir para lazer e diversão. Não é errado desfrutar do dinheiro quando cumpriu também com suas obrigações.

Mas se gerido de maneira incorreta, o dinheiro também pode gerar vários problemas e até mesmo maldição:

Afastamento de Deus – O dinheiro pode se tornar uma obsessão para o homem, um ídolo que o escraviza, tomando o lugar de Deus em sua vida. O dinheiro deve ser seu servo, não seu mestre.

Muita preocupação – Se sua confiança estiver no dinheiro, estará sempre preocupado com o que vai acontecer se não tiver dinheiro. Deus é a fonte de seu sustento, mesmo quando não se tem dinheiro.

Tentação – Uma atitude errada perante o dinheiro pode levar a muitos pecados, como arrogância, cobiça, roubo, opressão.  Por isso, é necessário cuidado e direção de Deus em sua vida financeira.

O cristão precisa ter uma atitude equilibrada em relação ao dinheiro. Não é errado ter muito dinheiro, e ser pobre não é ter falta de fé. Deus pode abençoar tanto o pobre como o rico. A Bíblia ensina a viver contente em todas as situações, na riqueza e na pobreza. É importante trabalhar para ganhar dinheiro de forma honesta. Lucro fácil logo desaparece e quem enriquece de forma desonesta terá castigo de Deus. Quem gere seu dinheiro com cuidado e confia em Deus terá sempre o necessário para viver.