O que a Bíblia ensina sobre o Dízimo

O que a Bíblia ensina sobre o Dízimo

A palavra “dízimo” significa a décima parte de alguma coisa. Dez por cento de tudo o que nos vem às mãos deve ser entregue ao Senhor, uma vez que o dízimo é santo, ou seja, separado exclusivamente para Deus. Em Levítico, lemos:

O dízimo será santo ao SENHOR. (Lv 27.32)

  1. Os dízimos e as ofertas pertencem a Deus

Quando você deixa de entregá-los, está roubando a Deus. Se roubar dos homens já traz maldição, imagine roubar de Deus.

Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldi­ção sois amaldiçoados, porque a mim me roubais. (Ml 3.8-9)

  1. O dízimo é diferente da oferta

Dízimo é dez por cento do salário, mas oferta é algo que se dá além dele. O dízimo é para proteção contra o devorador, enquanto a oferta é para prosperidade. Em Malaquias 3.11, lemos que, se entregarmos o dízimo, o Senhor nos livrará do devorador. O dízimo é lei e prova nossa fidelidade. Mas a oferta demonstra o nosso amor, e deveria ser maior que o dízimo. O dízimo não é uma semente, mas a oferta sim. A Palavra de Deus diz que aquele que semeia com fartura colherá com abundância porque Deus é fiel.

E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. (2Co 9.6)

 

Por que devo entregar o dízimo?

  1. Porque Deus ordena

Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. (Ml 3:10)

  1. O dízimo é uma proteção contra o diabo

Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. (Ml 3.11)

 

  • Dicas
  • Não fique guardando o seu dízimo. Entregue-o no primeiro culto após o recebimento de seu salário.

No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade […] (1Co 16.2)

  • Você pode calcular o dízimo baseado no valor do salário líquido ou bruto, mas recomendamos que seja do bruto.
  • Ninguém tem autoridade para administrar o próprio dízimo, nem mesmo suas ofertas. Quem administra é a casa do Senhor. O que passar disso é do maligno. Não dê dízimo a profetas, evangelistas itinerantes, ou mesmo a orfanatos, asilos, ou qualquer outra instituição do gênero.
  • Todo dízimo deve ser trazido à igreja, onde você é cuidado e alimentado. Entregar o dízimo em outra igreja é como se um homem casado desse seu salário a outras mulheres, e não à esposa; é prostituição espiritual.
  • Nenhum pastor tem autoridade para liberar uma pessoa de dar seu dízimo. Nenhum homem pode autorizar alguém a deixar de obedecer à Palavra de Deus.
  • Dê o dízimo antes de fazer qualquer pagamento. Quem primei­ro paga as contas para depois entregar o dízimo está pecando. Mostra que Deus não é prioridade para essa pessoa.
  • O dízimo deve ser calculado levando-se em conta toda a renda, ou seja, inclui horas extras, venda de bens móveis e imóveis, investimentos, presentes etc.
  • Seja organizado. Faça o controle de todas as suas entradas, inde­pendentemente da quantidade. Só assim você será um dizimista fiel.
  • Um empresário só poderá ser considerado dizimista fiel se der o dízimo de sua empresa, e não apenas de sua retirada mensal.
  • Ninguém pode determinar o que a igreja deve fazer com o dí­zimo que recebe. Quem administra os dízimos são os pastores e presbíteros.
  • Os dizimistas fiéis têm o direito de ver o relatório mensal dos gastos da igreja. Esta tem a obrigação de apresentar, no mínimo, um relatório anual.
  • Ninguém está isento de entregar o dízimo. Nem pastor, nem missionário, nem apóstolo etc.
  • Se você deixou de dar o dízimo por alguns meses, não recomece simplesmente, mas pague todos os atrasados.
  • Existe um envelope especial que você deve usar para entregar seu dízimo. Procure seu anjo da guarda para que ele o oriente sobre o modo de fazê-lo.
  • Procure não vir de mãos vazias para o culto a Deus. Nós reco­lhemos ofertas em todos os cultos. Traga a sua oferta. O Senhor ordenou aos filhos de Israel, em Deuteronômio 16.16: “Não aparecerá de mãos vazias perante o SENHOR”.
  • Não faça alarde ao ofertar na casa de Deus. Se procurar a glória de homens, esta será sua única recompensa.

 

Fonte: Curso de Consolidação – Pr. Aluízio Silva