top of page
Buscar

A identidade sacerdotal


João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém! (Ap 1.4-6)

João, o apóstolo, escreveu essa carta da parte de cada pessoa da trindade, do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Primeiro, ele diz que escreve da parte daquele que é, que era e que há de vir. Esse é o nome de Deus revelado no Monte Sinai a Moisés. Ele é aquele que era, que é e que há de vir. Ele é o EU SOU. Ele escreveu da parte de Deus. Em Hebreus 13.8, está escrito que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Deus é o Deus de ontem e de hoje e será para sempre. Jesus é Deus. Morra por isso. Jesus é Deus. Ele não é um bom homem, Ele não é um revolucionário, Ele é Deus. Essa é a maior verdade do evangelho. Isso tem o poder de transformar a nossa vida. E João faz esse comprimento da parte de Deus. Ele coloca Jesus na mesma posição que o Pai.

João também escreve da parte dos sete Espíritos de Deus. Aqui, ele fala do Espírito Santo. Em Isaías 11.2, temos uma descrição das sete faces do Espírito Santo. Ele diz: “O Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor. O número sete na Bíblia significa plenitude. Quando João fala da parte dos sete Espíritos, ele fala da parte das sete faces do Espírito de Deus, daquele que é pleno, ou seja, que não pode ser descrito em apenas uma palavra, uma face. Ele está trazendo a saudação da parte do Espírito Santo.

Por fim, João fala a respeito de Jesus, a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e soberano dos reis da terra. Por que Ele é o primogênito? Quando Jesus nasceu, Ele era chamado de primogênito, porque Ele era o único gerado pelo Espírito Santo. Mas, depois que morreu e ressuscitou, Ele não é mais chamado de unigênito, mas de primogênito, pois agora Ele não é mais o único, e sim o primeiro de uma nova raça. Agora, Ele é o primeiro de uma nova raça que venceu a morte, nós, a igreja, ou seja, todos os que nasceram de novo.

É por isso que a Bíblia, ao falar da morte dos crentes, não se refere a eles como se morressem, mas como se dormissem. Isso acontece porque, de fato, crente não morre, pois Jesus já venceu a morte, e nós estamos n’Ele. Apenas passamos de uma vida para a outra. Apenas voltamos para a casa do Pai. Isso é maravilhoso! Aleluia! Isso deveria trazer paz ao seu coração. Você não precisa ter medo da morte.

Mas agora chegamos a um ponto poderoso a respeito de quem é Jesus: Ele é o soberano dos reis da terra. Quem você acha que são esses reis? Você acha que é Buda? Ou o presidente dos Estados Unidos? Talvez você pense que seja o tirano da Coreia do Norte, não? Ou ainda a rainha Elizabeth? Mas, de fato, a Bíblia não se refere a nenhum deles, pois Deus nunca considera nada do ponto de vista natural. Quando Ele fala que é o soberano dos reis, está falando de posição espiritual.

Acredite ou não, a Bíblia está falando de você. Esses reis que estão aqui não são esses poderosos deste mundo caído sem Deus.

Diante de Deus, eles estão mortos espiritualmente, não existem. Não são eles que de fato são os reis, pois do ponto de vista espiritual, não representam coisa alguma. Os verdadeiros reis a que a Bíblia se refere são os irmãos que constituem a igreja de nosso Senhor Jesus.

É sobre você e eu que a Palavra de Deus se refere. O Senhor nunca coloca sua atenção no mundo natural, Ele sempre olha a realidade espiritual do reino. A revelação dessa verdade deve afetar profundamente a sua vida. A Palavra de Deus afirma categoricamente que fomos feitos reis, e não apenas sacerdotes. A Bíblia diz que somos constituídos reis e sacerdotes, e Ele é o soberano dos reis da terra.

Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém! (Ap 1.5b-6)

A Bíblia diz que somos reis e sacerdotes. Essa é a sua identidade. A primeira parte é que você é um sacerdote, e isso tem implicações muito poderosas e sérias em sua vida, em sua família e na vida da igreja.

Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha; vós me sereis reino de sacerdotes e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel. (Êx 19.5-6)

O que estava no coração de Deus era que toda aquela nação fosse uma nação de reis e sacerdotes, mas sabemos que eles falharam e, em vez disso, fizeram um bezerro de ouro (Êx 32). Disseram: “Fale você com Deus, não falemos nós”. Eles não quiseram se posicionar, não quiseram assumir esse lugar, essa identidade. Não entenderam o privilegio que é ser um rei, um príncipe, uma princesa, um sacerdote.

Certa vez, perguntaram a Billy Graham, o maior evangelista da nossa geração, alguém que influenciou e ganhou milhões de pessoas para Cristo (essa pergunta foi feita no auge do seu ministério): “Billy Graham, você pensa em ser presidente dos Estados Unidos algum dia?” Ao que ele respondeu sem hesitar: “Jamais me rebaixaria a essa posição para deixar de ser sacerdote”.

Às vezes, ao viajar com certos irmãos, encontramos artistas, jogadores de futebol, e alguns dizem: “Olha lá o artista tal, vamos tirar uma foto com ele?” Então, costumo dizer: “Não daremos a ele essa glória”. A pessoa me olha achando estranho, mas é para cair a ficha; afinal, quem são de fato os reis e importantes na história? Você é o rei, a rainha. É você que tem valor. É você que governa. É você que vai reinar. É você que determina.

Quando você encontrar alguém famoso neste mundo, posicione-se, jogue fora toda tietagem vazia de gente sem revelação de quem é em Deus. É aquele artista ou jogador famoso que precisa de sua bênção, e não você que precisa de uma foto com ele. Você terá autoridade a partir do momento em que se posicionar em sua verdadeira identidade.

Então, preste atenção! A Bíblia diz que aquele povo falhou, e Deus usou a tribo de Levi para fazer algo muito sério, porque aquele povo pecou, e isso lhes foi uma tragédia. Naquele momento, Deus estabelece a tribo de Levi e entrega a lei ao povo, e três mil pessoas morrem num só dia.

É interessante que, quando a lei foi dada, três mil pessoas morreram; mas, quando o Espírito Santo foi dado para selar a nova aliança, três mil pessoas foram salvas. Aqui está a diferença da lei e da graça: quando a lei foi dada, morreram três mil; quando o Espírito Santo veio, três mil pessoas foram salvas. Isso aconteceu porque, naquele momento, rejeitaram a graça e escolheram a lei. Pelo fato de terem escolhido se relacionar com Deus na base do mérito próprio, a morte entrou em jogo.

A partir desse momento, Deus separou a tribo de Levi porque a nação de Israel negou assumir sua identidade de rei e sacerdote. Logo, Deus estabeleceu essa tribo para representar toda a nação como sacerdotes e reis. O que é o sacerdote? O sacerdote é aquele que pega na mão de Deus e pega na mão do homem para estabelecer a reconciliação entre ambos. Ainda que Deus mesmo não precisa ser reconciliado conosco, o homem precisa ser reconciliado com Deus. Isso é maravilhoso! Os homens estão separados de Deus, e Deus estabelece sacerdotes para que os sacerdotes tenham essa posição de glória, de poder, de pegar na mão de Deus e na mão do pecador e os reconciliar. Isso é glorioso! A Bíblia diz, em 2 Coríntios 5.18-19, que esse ministério da reconciliação foi dado a nós como igreja:

Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. (2 Co 5.18-19)

Aleluia! A palavra da graça, do perdão e do favor de Deus que as pessoas precisam ouvir lá fora é esta: Existe jeito para você. Deus perdoa você. Deus apaga os seus pecados. Deus pagou a dívida em seu lugar. Ele o tirou desse lugar de morte e salvou sua vida! Tem jeito para você. Não há nada que Deus não possa fazer, porque Ele ama você”. Nós chamados para anunciar a palavra da esperança a pessoas desesperadas, pessoas perdidas. Deus chamou você para reconciliar o homem caído, que está desesperado, com Ele. Precisamos levar salvação a essas famílias. Isso é viver a identidade de sacerdote.

Fonte: Quem sou eu? Descubra sua verdadeira identidade em Cristo

Pr. Naor Pedroza

Comentários


bottom of page