top of page
Buscar

De sonhador a intérprete de sonhos

Creio que o Senhor está nos introduzindo num novo tempo como igreja. Creio que avançaremos de forma rápida e veremos muitas igrejas sendo estabelecidas. O Senhor nos dará uma posição de maior influência para que possamos pregar o evangelho da graça a toda esta geração.

Em cada novo ciclo, o Senhor nos faz avançar para novas posições. Todavia, antes de sermos promovidos, sempre somos testados e provados. Nos últimos anos, temos sido provados de muitas formas, e creio que agora está chegando o tempo da promoção para o próximo nível. Podemos ver em José um exemplo desse princípio espiritual. A vida de José começa com um sonho. Já temos aprendido que sonhos e visões são a linguagem do Espírito. Antes que o Senhor faça algo, Ele nos dá uma visão ou sonho da obra que vai operar por meio de nós.

José começou sonhando. Seus irmãos o chamavam de sonhador. O sonho é importante para nos dar clareza do futuro que Deus tem para nós, mas ele é apenas o primeiro estágio. José não foi alçado ao próximo nível apenas porque teve um sonho.

A Escritura nos mostra que José foi levantado como governador do Egito quando aprendeu a interpretar os sonhos dos outros. Creio que esse mesmo princípio se aplica a nós. É importante termos os sonhos de Deus, mas é preciso entender que eles são apenas um aviso profético de que algo maior está diante de nós. José foi promovido quando foi capaz de interpretar o sonho de Faraó. Quando interpretamos, ganhamos uma chave espiritual que nos abre a compreensão para novas dimensões.

Quando interpretamos sonhos, estamos ajudando outros a desenvolver seus próprios ministérios. Entretanto, ao agirmos assim, Deus estabelece a nossa posição. Um empresário será alçado a uma nova posição quando conseguir interpretar o desejo dos seus clientes. Um líder entrará numa nova dimensão quando aprender a interpretar o chamado dos seus liderados. A capacidade de interpretar é a sabedoria que vem do alto.

Todavia, sair da posição de sonhador para interpretador de sonhos é um processo que envolve provações. Na vida de José, percebemos que ele somente foi capaz de interpretar sonhos depois que saiu da casa de Potifar e foi para a cadeia. Sabemos que o evento que o levou para a cadeia foi dizer não à mulher de Potifar. Somos promovidos ao próximo nível quando somos aprovados no teste da obediência. A obediência não colocou José como primeiro-ministro do Egito, mas permitiu que ele recebesse novos níveis de sabedoria. Foi a sabedoria que o alçou a um novo nível.

A Palavra de Deus diz que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria (Pv 9.10). No meio da tentação, José se lembrou do Senhor e disse: “Cometeria eu tamanha maldade e pecaria contra Deus?” (Gn 39.9). Quando a sabedoria vem, somos capazes de interpretar a visão de outros. Todas as vezes que nos deparamos com um novo desafio ou com o início de um novo ciclo, nossa maior necessidade é de sabedoria.


Reconheça que precisa de sabedoria

A sabedoria é a coisa mais importante em nossa vida. Todos os nossos problemas são, na verdade, um problema de sabedoria. Por que você tem problemas no casamento? Porque há algo a respeito de casamento que você não sabe. Por que você tem problemas financeiros? Porque há algo a respeito de finanças que você não sabe. Se soubesse, estaria prosperando. Portanto, ter sabedoria é a chave para todas as coisas. A falta de sabedoria tem causado mais problemas do que todas as outras coisas. O alvo do diabo é manter as pessoas sem entendimento da verdade. Todos os nossos problemas existem porque desconhecemos ou desprezamos o conhecimento de Deus, a sabedoria. Ela deve ser nossa maior prioridade. Devemos buscá-la com todo o nosso empenho. Salomão disse, em Provérbios, que “o princípio da sabedoria é: Adquire a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o entendimento” (Pv 4.7). Em outras palavras, ele está dizendo que o princípio da sabedoria é a percepção de que não a temos e precisamos adquiri-la. Precisamos de algo maior do que o conhecimento, precisamos de sabedoria. A sabedoria é a coisa mais importante.

A sabedoria é a coisa principal; adquire, pois, a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o conhecimento. (Pv 4.7 — ARC)

As Escrituras declararam que Deus fez com que Cristo seja a nossa sabedoria. A sabedoria não é uma coisa, mas uma pessoa. A sabedoria é o próprio Cristo.

Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção. (1 Co 1.30)

As pessoas estão frequentemente me perguntando como fazer para ganhar dinheiro, mas raramente me perguntam como adquirir sabedoria. Creio que a razão disso é que elas percebem mais rapidamente a falta de dinheiro do que a falta de sabedoria. Tiago diz que devemos pedir ao Senhor sabedoria. Isso significa que ela não pode ser adquirida por meio de livros ou estudo, a verdadeira sabedoria vem de Deus.

Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. (Tg 1.5)

Começamos a nos tornar sábios quando reconhecemos que não sabemos. Não saber algo é também chamado de ignorância. Somente os ignorantes — os que não sabem — podem ter fome de conhecimento. O problema é que temos especialistas demais que sabem tudo sobre todas as coisas. É raro encontrarmos uma pessoa que honestamente admite não saber alguma coisa. Não importa a área de conhecimento, sempre temos uma opinião a dar. Observe a respeito de quantas coisas diferentes nós opinamos. Uma das causas de nossos problemas é a falta de ignorância. O ignorante humilde é tardio em posicionar-se. Quando outros falam, ele apenas ouve atentamente, porque deseja aprender. Tome a santa resolução de não se achar sábio, mas humildemente buscar o conhecimento de Deus.


A sabedoria valoriza a presença

Quando Salomão começou o seu reinado, a primeira coisa que ele fez foi ir a Gibeon, onde estava armado o Tabernáculo, e oferecer sacrifícios ao Senhor. Ali, ele ofereceu mil holocaustos ao Senhor. Ele ainda não havia recebido sabedoria, mas já era generoso para com Deus. Naquela noite, o Senhor lhe apareceu em sonho e disse: “Pede-me o que queres que eu te dê” (2 Cr 1.7). O que você pediria se o Senhor lhe dissesse isso? Ele pediu um coração que ouve.

Dá, pois, ao teu servo coração compreensivo para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; pois quem poderia julgar a este grande povo? Estas palavras agradaram ao Senhor, por haver Salomão pedido tal coisa. (1 Rs 3.9-10)

Quando Deus lhe perguntou: “Que queres que eu te dê?”, o que Salomão pediu? Um coração compreensivo. A palavra traduzida como “compreensivo” é “shama”, que literalmente significa “ouvir” em hebraico. Então, quando Salomão pediu sabedoria ao Senhor, na verdade, ele pediu um coração que ouve, um coração pronto para ouvir. A sabedoria envolve um coração que ouve. Um coração sábio é o que ouve.

É quando ouvimos que temos discernimento. Assim, a primeira coisa que fez no dia seguinte foi ir a Jerusalém e estar perante a Arca do Senhor. O primeiro sinal de alguém que ganhou sabedoria é valorizar a presença de Deus. A Arca é símbolo da presença do Senhor.

Os sacerdotes serviam no Tabernáculo em Gibeon, mas a Arca da Aliança estava no Tabernáculo que Davi havia erguido no monte Sião, em Jerusalém. Esses dois tabernáculos são tipos da lei e da graça. O Tabernáculo em Gibeon, no entanto, não tinha a presença, pois a Arca não estava lá. Depois que Salomão ganhou sabedoria, a primeira coisa que fez foi voltar ao Tabernáculo em Jerusalém e adorar o Senhor diante da Arca da Aliança. A sabedoria sempre valoriza a presença de Deus.

Despertou Salomão; e eis que era sonho. Veio a Jerusalém, pôs-se perante a arca da Aliança do SENHOR, ofereceu holocaustos, apresentou ofertas pacíficas e deu um banquete a todos os seus oficiais. (1 Rs 3.15)

Salomão pediu a Deus sabedoria para discernir entre o bem e o mal. É interessante porque isso nos leva até a árvore do conhecimento do bem e do mal no jardim do Éden. Tentar discernir o bem e o mal a partir da lei nos leva ao pecado e à morte. Precisamos comer da árvore da vida. A vida de Deus é sua presença. Quanto mais desfrutamos da vida, mais temos clareza do que devemos fazer em cada situação. As pessoas desejam ter fórmulas e códigos de conduta, mas a vontade de Deus é nos guiar pela sua presença, pela vida do Espírito dentro de nós. É interessante que, logo em seguida, Salomão atendeu duas prostitutas. Ele era o rei, mas mesmo assim resolveu ouvir aquelas duas mulheres. Ele era humilde para ouvir até aqueles a quem ninguém queria dar atenção.


A sabedoria valoriza a Palavra

Em Deuteronômio 34.9, lemos que o espírito de sabedoria estava sobre Josué porque Moisés havia imposto as mãos sobre ele. Josué seria o sucessor, por isso sua primeira necessidade era de sabedoria. Na relação dos dons espirituais, o dom de palavra de sabedoria é o primeiro, indicando que se trata de uma prioridade diante de Deus.

Josué, filho de Num, estava cheio do espírito de sabedoria, porquanto Moisés impôs sobre ele as mãos; assim, os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram como o SENHOR ordenara a Moisés. (Dt 34.9)

Entretanto, logo no capítulo seguinte, vemos o Senhor falando com Josué que Moisés havia morrido e agora ele deveria avançar para o próximo nível. O passado estava concluído, agora havia chegado o tempo de entrar numa realidade completamente diferente. Não importa o quão maravilhoso tenha sido o passado, ele agora está concluído, e o Senhor nos desafia a avançar para nos apropriarmos de novos territórios. A promessa para Josué e para nós é maravilhosa. Ninguém poderá nos resistir, o Senhor será conosco e, aonde pisarmos a planta dos pés, o Senhor nos dará por herança. Na descrição da herança, o Senhor diz que seria do Mediterrâneo ao Jordão e do Líbano ao deserto no sul. Isso nos mostra a forma da cruz. Toda a nossa herança é encontrada na cruz. Por três vezes, o Senhor disse a Josué que ele não deveria ter medo. Naturalmente, todo lugar em que ele pisasse, na verdade, estaria pisando no pé de alguém. Haveria luta e resistência nesse novo tempo.

O Senhor já havia colocado o espírito de sabedoria sobre Josué, mas, no verso 8, Ele diz: “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido” (Js 1.8). É interessante que nós mesmos fazemos o nosso caminho próspero por meio da Palavra. Josué já havia recebido o espírito de sabedoria, mas mesmo assim o Senhor mandou que ele gastasse tempo com a Palavra. Na verdade, falar, meditar e fazer o que está escrito é o grande sinal de que recebemos mesmo a sabedoria de Deus.


Fonte: O descanso da graça — Pr. Aluízio Silva

Comments


bottom of page