top of page
Buscar

Tudo vai cooperar para o seu bem

Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem. (Gn 50.20)

É muito desagradável quando pessoas se sentam para planejar o mal a seu respeito. Foi exatamente isso que o Espírito me revelou tempos atrás, mas d’Ele também veio a segurança e o consolo de que Ele faria com que tudo contribuísse para o meu bem. Estavam intentando o mal, mas o Senhor o transformaria em lucro para mim.

Essa é uma promessa que nos dá uma segurança gloriosa. Por anos, José passou por maus bocados, traições e decepções. Quando adolescente, seus irmãos ficaram com ciúmes dele e o jogaram em um buraco. Eles iam deixá-lo lá para morrer, mas viram uma caravana de ismaelitas chegando e decidiram vendê-lo. José nunca sonhou que se tornaria um escravo e trabalharia em um país estrangeiro. Provavelmente se sentiu como se Deus tivesse se esquecido dele.

A certa altura, a esposa do homem para quem trabalhava o acusou falsamente, mentiu sobre ele. José foi preso por algo que não fez. Ele tinha muitos motivos para viver com amargura, mas você não lê na Bíblia que José agiu assim.

Ele entendeu esse princípio espiritual tremendo de que tudo está servindo ao plano de Deus para nós. Não apenas as coisas boas, como quando teve um sonho no qual as pessoas se curvariam diante dele. Não apenas quando seu pai o favoreceu e lhe deu uma túnica de muitas cores, mas até mesmo as horas ruins, até mesmo as situações injustas.

Treze anos depois de todas as decepções, deslealdades e traições, assim como Deus prometeu, José se tornou o primeiro-ministro do Egito. Mas o que é interessante é que, se alguma daquelas coisas ruins não tivesse acontecido: se seus irmãos não tivessem ficado com ciúmes, se ele não tivesse sido jogado em uma cova, se não tivesse sido vendido como escravo, se a esposa de Potifar não tivesse mentido sobre ele, se não tivesse sido colocado na prisão, ele não teria chegado ao trono. Cada passo foi necessário, todos foram instrumentos de Deus.

Anos depois, os irmãos de José voltaram ao Egito em busca de alimento durante uma grande fome. Ele estava encarregado do suprimento de alimentos, então disse aos seus irmãos: “Não se preocupem. Eu não vou fazer mal a vocês. Vocês intentaram o mal contra mim, mas Deus o transformou para o bem”. Deus usará pessoas e situações para movê-lo em direção ao propósito d’Ele para sua vida.

Por isso, não fique desanimado. Você precisa de um beijo de Judas para chegar ao seu destino. Você precisa de pessoas que tentem jogá-lo no buraco, que tentem desacreditá-lo, empurrá-lo para baixo, para que possa chegar ao trono. Se a traição dos irmãos de José o tivesse impedido de ser o primeiro-ministro, Deus nunca teria permitido. As pessoas não sabem o propósito de Deus para você, mas qualquer coisa que façam não pode impedir o cumprimento do seu destino, o propósito de Deus para a sua vida.

SABEMOS

Tudo isso significa que existe graça superabundante disponível para todos nós. Não importa a circunstância que passemos, Deus fará com que tudo coopere para o nosso bem. Não fique desanimado, você pode ter grandes expectativas sobre o seu futuro, pois o Pai lhe garante a vitória em qualquer circunstância.

Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Rm 8.28)

A palavra “sabemos” aqui é “oida” no original. Significa um saber que não vem por meio de estudo e aprendizado, não é uma compreensão mental apenas, mas é algo que sabemos por revelação no espírito. É um saber que procede do interior.

QUE TODAS AS COISAS

Paulo diz que todas as coisas cooperam para o bem, não apenas as coisas boas e agradáveis, mas até aquelas ruins vão cooperar para o nosso bem. Não significa que todas as coisas em nossa vida são iniciadas por Deus, mas que até as obras e setas malignas Deus fará com que cooperem para o nosso bem.

COOPERAM PARA O NOSSO BEM

Deus não diz que todas as coisas são boas, há coisas realmente ruins. O que Ele afirma é que todas vão cooperar para o nosso bem.

Não se deve desanimar se porventura uma porta se fechar. Conta-se que, certa vez, um homem estava viajando num barco que naufragou e só ele escapou. Então, ele foi parar numa ilha deserta. Ali, tentando sobreviver debaixo de chuva e sol, clamou a Deus e pediu a graça de poder construir uma choupana para se abrigar dos elementos da natureza. O Senhor o capacitou, e ele construiu uma choupana. E lá vivia com tranquilidade, mas seu desejo era ir embora. Até que um dia orou ao Senhor pedindo que enviasse alguém para resgatá-lo. Numa manhã, ele estava na praia e começou a chover.

De repente, um raio caiu em cima da sua choupana, incendiando-a. Aquilo o deixou desolado e chateado com Deus. Primeiro, o barco afundara e agora a choupana havia sido destruída. “Numa ilha tão grande, o raio tinha de cair justamente em cima da minha choupana?”, lamentava ele. Parado na praia, martirizando-se ao ver a choupana pegar fogo, percebeu que um navio vinha em sua direção. Finalmente seria resgatado. Depois de subir no navio, perguntou ao comandante: “Como vocês descobriram que eu estava perdido aqui?” O comandante respondeu: “Nós não sabíamos, mas de longe vimos uma choupana queimando e imaginamos que fosse o sinal de alguém pedindo socorro”.

Às vezes, para o propósito de Deus se cumprir, Ele precisa queimar sua choupana. Esse incêndio é só um sinal de que algo maior está vindo. O Senhor tem o controle de todas as circunstâncias da sua vida. Aqueles que amam a Deus e são chamados para a salvação segundo o propósito divino apontam para nós. Essa é uma promessa exclusiva para os filhos de Deus. E todas as coisas acontecem baseadas no versículo seguinte, que diz:

Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. (Rm 8.29)

Veja que tudo coopera para sermos conformados à imagem de Cristo, o Filho de Deus. A Escritura não diz que tudo coopera para ficarmos mais ricos, mais prósperos ou mais populares, mas tudo vai cooperar para que sejamos mais parecidos com Jesus.

Precisamos ter algo firmado em nosso coração: mesmo que coisas ruins aconteçam conosco, Deus está do nosso lado. Ele é por nós, e não contra nós. Se você não entende o que está acontecendo, não pergunte a Deus o porquê como se Ele fosse o problema. Não há nada de errado em perguntar o porquê, apenas tenha cuidado para não pensar que Deus é a causa do problema. Deus está do seu lado. Cuidado com o pensamento religioso legalista do tipo: “O que eu fiz? Meu carro quebrou, meu filho adoeceu, o que eu fiz?” Isso é viver na lei, é legalismo. Todos os seus pecados foram perdoados pelo sangue de Jesus. Deus é o seu Pai e ama muito você.

Há uma grande diferença entre questionar a Deus e pôr suas questões diante de Deus. Quando levamos nossas questões a Ele com o coração submisso, o Senhor sempre nos responde.

Em Romanos 8.31, Paulo diz: “Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?” A palavra “quem” no grego é “tis”, que também pode ser traduzida como “o que”. Poderíamos, então, dizer: “Se Deus é por nós, o que será contra nós?” Se Deus está do nosso lado, então coisas como doenças, problemas financeiros ou críticas não podem nada contra nós.

Outro dia, assisti a um filme chamado Transformers. Nele, havia os vilões chamados Decepticons e os mocinhos conhecidos como Transformers. Fiquei pensando que a decepção é algo que nos impede de ser transformados. Muitos de nossos espinhos são apenas testes para checar se nos decepcionamos com Deus ou se nos submetemos debaixo de sua vontade soberana.

Romanos 8.33 diz: “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica”. Deus é o nosso justificador. Deus é por você, e não contra você. Certa vez, assisti a um desenho animado com uma história bem interessante. Um garoto chamado Paulinho e sua irmã, Célia, foram visitar os avós. O menino estava com seu estilingue atirando pedras em algumas árvores. De repente, ele se voltou para o quintal de sua avó e viu o pato de estimação dela. Num impulso, ele o atingiu com uma pedra certeira, e o pato morreu instantaneamente.

O garoto entrou em pânico e tentou desesperadamente esconder o pato morto na pilha de lenha; porém, ao olhar para cima, percebeu que sua irmã Célia estava vendo tudo da janela. Após o almoço daquele dia, a vovó disse: “Célia, vamos lavar os pratos”. E ela respondeu: “O Paulinho me disse que queria ajudar a arrumar a cozinha hoje, não é, Paulinho?” Então, ela sussurrou-lhe: “Lembre-se do pato”. Assim, Paulinho foi lavar os pratos.

Mais tarde, o vovô perguntou se as crianças queriam pescar, mas a vovó disse: “Desculpe-me, mas preciso que a Célia me ajude a fazer o jantar”. Célia sorriu e disse: “O Paulinho quer muito aprender a cozinhar”. E ela sussurrou novamente: “Lembre-se do pato”. Após vários dias fazendo suas tarefas e as de Célia, finalmente ele não aguentou. Confessou à avó que havia matado o pato. “Eu sei, Paulinho”, disse ela, dando-lhe um abraço. “Eu estava na janela e vi tudo. Porque amo você, já o perdoei. Eu só queria saber por quanto tempo você deixaria Célia fazer de você um escravo”. Não deixe o diabo mantê-lo na culpa e na escravidão. Creia no perdão do sangue e viva na liberdade dos filhos de Deus.


Fonte: Eu cri, por isso falei — 21 Dias para liberar a fé

Pr. Aluízio Silva

コメント


bottom of page