top of page
Buscar

Os primeiros anos do casamento

Quando estamos nos preparando para o casamento, muitas coisas passam pela nossa cabeça. Como será morar junto com essa pessoa para sempre? Como será acordar junto todos os dias? Como serão nossos filhos? Enfim, muitas expectativas são geradas em torno do nosso cônjuge, expectativas que esperamos que sejam supridas. O que não esperamos é que, no pacote do casamento, venham também alguns ajustes necessários para todo casal que está iniciando sua vida de casado. Nos primeiros anos do casamento, é natural que haja um tempo para conhecer o outro e para que os ajustes sejam feitos.


Descobri que meu casamento não é um conto de fadas

Você deve estar se perguntando onde está o príncipe com quem você se casou. Ele está aí do seu lado, mas agora você o está conhecendo na intimidade. Essa intimidade tem muitas coisas boas, mas às vezes, junto com ela, vem a liberdade de falar de forma áspera, deixar as roupas espalhadas pela casa, arrotar e soltar flatulências, e até esquecer-se de lhe dar um beijo antes de ir para o trabalho. Ela, a linda princesa, acorda com os cabelos bagunçados, sem maquiagem e desarrumada, e se tornou uma mulher mal-humorada, que sempre está mais preocupada com a casa do que com o marido; às vezes, controladora, e muitas vezes, ciumenta. A questão é que você projetou na sua mente uma pessoa, um príncipe, uma princesa. Mas agora, você descobriu que se casou com uma pessoa normal, de carne e osso, com qualidades e defeitos, que às vezes acerta e outras vezes erra. Bem-vindo ao mundo real! Você acabou de descobrir que seu cônjuge não é perfeito.


Desista da independência

Não faça como Sara, tentando resolver as coisas na sua própria força, pois você não conseguirá nada, apenas adiará a solução dos seus problemas. O grande erro de Sara foi achar que ela poderia ajudar Deus, resolvendo as coisas do seu jeito. Quem tem essa fama de dar um jeitinho é o brasileiro, mas Sara também deu seu jeitinho e o filho nasceu, mas não era essa a promessa de Deus; a promessa era que Sara daria um filho a Abrão (Gn 17.19). Todas as vezes que você tentar resolver as questões na sua força, você também gerará um Ismael. Deus não precisa de sua ajuda para ser Deus. Sua parte é levar seus problemas e petições diante a Ele e depender completamente do Senhor.


Fale com a pessoa certa

Muitos casamentos estão desgastados por falta de sabedoria dos cônjuges. Eles querem soluções imediatas para o que desejam, mas se esquecem de que há um caminho a percorrer para que seu casamento seja maravilhoso: o caminho da dependência de Deus. Quando andamos por esse caminho, desistimos de tentar mudar o outro falando o tempo todo dos defeitos dele. Aprender a falar com a pessoa certa é sabedoria; aprender a moderar os lábios é prudência (Pv 10.19).


Desista de tentar mudar seu cônjuge

Suas tentativas de mudar seu cônjuge passarão por vários estágios até que você descubra que nenhuma delas dará certo. O resultado de tanto esforço para mudar seu cônjuge resultará apenas em cansaço, desgaste, afastamento e feridas. Por fim, muitos chegam à triste e mentirosa conclusão de que existe incompatibilidade de gênio entre o casal. Mas tudo isso foi gerado porque você entrou no casamento pensando que poderia mudar seu cônjuge. Então, comece assumindo hoje que você não é Deus, só o Senhor é Deus!


Conheça sua posição

Você é esposa; você é marido. Você não é mãe nem pai do seu cônjuge. Quando começamos a agir assim, tornamo-nos chatos, tentando o tempo todo dar ordens e ensinar aquilo que não gostamos que o outro faça. Muitas vezes, você quer que seu cônjuge mude em alguns meses hábitos que ele aprendeu durante anos de sua vida. Não será você a ensinar ao seu cônjuge como proceder, como ser um bom marido, como ser um bom pai ou um bom líder na igreja. Não será você a ensinar sua esposa como ser esposa, boa mãe e sua auxiliadora. O cônjuge precisa de uma pessoa que fale na vida dele para ensiná-lo, mas essa pessoa não é o outro cônjuge.


Sirva o seu cônjuge


[...] antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana. (Fp 2.7)



Quando você não espera nada em troca, você se livra da expectativa de receber elogios, retribuições; você faz simplesmente para servir seu cônjuge e a Deus. Isso é milagroso porque, ao agir assim, a esposa parará de falar ao marido sobre as roupas e sapatos espalhados, e ela mesma o servirá guardando o que ele deixar fora do lugar e perceberá que o desgaste será muito menor quando usar seu tempo para servir em vez de tentar ensiná-lo. Viva e invista em um relacionamento real e saudável, que lhe trará muita felicidade à medida que você parar de sonhar com algo que não existe e investir suas forças em edificar um casamento real, maduro e feliz.


Viva todas as fases do seu casamento com maturidade

Haverá dias no casamento em que nós, esposas, não teremos tempo de ficar cheirosas antes que o marido chegue do trabalho, não vamos parecer tão interessantes quando estamos desarrumadas e cheirando a alho, cuidando das crianças e cansadas; às vezes, até poderemos recebê-lo de uma forma não muito amorosa. O marido, por outro lado, em alguns dias, estará sob pressão do trabalho e das contas a pagar e se esquecerá de ser romântico, gentil e, em alguns momentos, será até áspero. Podemos até deixar as gentilezas de lado porque estamos apressados, ou, em outras situações, seremos mais práticos do que românticos. Aprenda a lidar com seu cônjuge em todas as etapas pelas quais vocês passarem. Certamente, vocês passarão por muitos altos e baixos, mas tudo isso contribuirá para o crescimento e amadurecimento do relacionamento conjugal.


Identifique as necessidades do seu cônjuge

Cada pessoa é de um jeito e tem necessidades distintas. Por isso, não podemos generalizar dizendo que toda mulher pensa assim ou que todo homem é assim. Precisamos descobrir as necessidades do nosso cônjuge para supri-las, precisamos descobrir como nosso cônjuge funciona, do que ele mais gosta, como ele gosta e quando ele gosta, o que fazer para agradá-lo, como tirar-lhe um sorriso, como surpreendê-lo. Se eu me dedico a suprir as necessidades do meu cônjuge, entro pelo caminho que Jesus entrou, de servo. Podemos ver em todos os evangelhos a vida de doação que Jesus viveu enquanto esteve aqui na terra. Ele estava sempre dando algo sem esperar nada em troca, até entregar a própria vida.


Fonte: A esposa que ele deseja, o marido que ela precisa – Pra. Dalva Rigonato

Comments


bottom of page